Tendinopatias (tendinites)

 

1 – O que são as Tendinopatias

 

As Tendinopatias são lesões dos tendões originárias de esforços repetitivos e constantes, que acabam por desgastar os tendões e fazer esses perderem sua capacidade de resistir à tração adequadamente. São condições dolorosas, em que a dor aparece ao se exercer força sobre o tendão. Essa dor costuma ser amenizada quando o corpo está aquecido. Em condições graves, porém, a dor pode permanecer mesmo após o corpo estar aquecido.

 

 

                                                              uma tendinite bastante comum é a do

                                                                          tendão de Aquiles

 

 

 

2 – Como assim os tendões desgastam? O que exatamente acontece?

 

Os tendões são compostos por fibras que são colocadas paralelamente umas às outras. Ao serem sobrecarregados esses tendões podem sofrer microlesões das quais, em condições normais, se recuperam sem problemas. Porém, se são sobrecarregados por bastante tempo ou com uma intensidade alta, ou se não tiverem tempo de se descansar após o esforço, essas microlesões não são curadas. Isso leva as fibras dos tendões a se desorganizarem, ou seja, elas deixam de se colocar paralelamente umas às outras e se “entrelaçam”, e ficam mais frágeis. Isso as torna menos capazes de resistir ao tracionamento e mais fracas, sendo que quando exigidas geram dor.

 

 

 

                                                                         Ombro visto de Frente

                                                  A Tendinopatia do Supraespinhoso também é comum

 

 

3 – O que predispõe alguém a desenvolver uma tendinopatia?

 

O surgimento de uma tendinopatia é multifatorial, ou seja, não se origina apenas de um fator, mas de uma combinação de fatores. Vamos mencionar alguns deles a seguir:

.músculos fracos: músculos fracos via de regra possuem tendões fracos. Tendões fracos são capazes de tolerar menos sobrecarga e, portanto, são mais predispostos a desenvolver uma tendinopatia.

.desalinhamento articular: o desalinhamento articular, especialmente durante a realização de um movimento, tira o tendão de seu alinhamento. Quando isso acontece o tendão fica torcido, e pode também ficar “raspando” sobre uma proeminência óssea ou outro tecido. Um tendão torcido vai sobrecarregar suas próprias fibras de maneira irregular, predispondo-as a se lesionarem. E, ao raspar sobre uma proeminência, isso gera um atrito que pode lesar o tendão. Portanto, o desalinhamento articular é um fator que pode predispor às tendinopatias.

.erros de treinamento esportivo ou excesso de treino: erros ao se realizar uma prática esportiva podem favorecer o surgimento de uma Tendinopatia. Isso pode acontecer pelo fato de alguém realizar um esforço muito maior do que aquele que o tendão aguenta, como correr distâncias muito longas, saltar muitas vezes ou levantar pesos excessivos, dentre outras.

.atividades diárias repetitivas: fazer atividades repetitivas em casa ou no trabalho pode ser a causa de uma tendinopatia. Pessoas que digitam muito, tocam instrumentos musicais por horas, erguem o braço acima da cabeça repetidas vezes podem vir a desenvolver uma Tendinopatia, especialmente se tiverem com músculos fracos e/ou realizando os movimentos de forma inadequada ou desalinhada.

.músculos muito tensos: músculos muito curtos ou tensos colocam sobrecarga constante nos tendões, pois se o músculo está contraído o tendão se estica. O ideal é um músculo com uma tensão normal, que permita aos tendões estarem numa posição adequada. Além disso, músculos muito curtos podem favorecer o desalinhamento articular.

.excesso de flexibilidade: o excesso de flexibilidade articular pode, em alguns casos, favorecer o alongamento excessivo do tendão, deixando-o numa situação em que a contração da musculatura força muito o tendão.

.genética: algumas pessoas podem estar mais predispostas a desenvolver um Tendinopatia por fatores genéticos.

.idade: a composição do tendões se altera de acordo com a idade, devido a isso pessoas mais velhas estão mais predispostas a desenvolver Tendinopatias que pessoas mais jovens.

 

 

 

4 - E como é a dor da tendinopatia?

 

A dor da tendinopatia é uma dor que se localiza no tendão, sentida ao contrairmos o músculo. Ela aumenta à medida que fazemos mais força.

 

 

                                                      na imagem, o local da dor na tendinopatia de

                                                      quadríceps; em destaque, 3 dos 4 músculos

                                                             que compõem o quadríceps

 

 

5 – Quais os graus de tendinopatia?

 

Existem 4 graus de tendinopatia.

1º. Grau: dor aparece após uma atividade constante ou esportiva.

2º. Grau: dor ocorre durante a atividade, desaparece à medida em que o corpo aquece, mas não interfere com a sua realização.

3º. Grau: dor tanto no repouso quanto durante a atividade. Dor interfere com a performance esportiva.

4º. Grau: é a ruptura parcial ou total do tendão.

 

 

 

                                                          os constantes saltos no voleibol predispõem

                                                           os atletas às tendinopatias de quadríceps

 

 

 

6 – Quais os tipos mais comuns de Tendinopatia?

 

Algumas da Tendinopatias mais comuns são:

Tendinopatia de Aquiles: no tendão da panturrilha, atrás da perna. Muito comum em praticantes de corrida.

Tendinopatia de Quadríceps: no joelho, no tendão que liga o quadríceps (músculo da região da frente da coxa) à perna. Comum entre corredores e jogadores de voleibol.

Tendinopatia do Supraespinhoso: no ombro, no tendão do músculo supraespinho, que passa pela articulação do ombro e é comprimido pelo movimento inadequado na articulação. Comum em jogadores de voleibol e nadadores.

Tendinopatia do Flexor Longo do Hálux: no tendão do músculo que dobra o dedão do pé para baixo. A dor é sentida atrás da perna um pouco acima do calcanhar. Mais freqüente entre bailarinas.

Epicondilite (medial ou lateral): ocorre no tendão do músculos que controlam o punho. Uma epicondilite medial ocorre no tendão dos músculos que dobram o punho (como se fechássemos a mão), enquanto a epicondilite lateral ocorre nos músculos que esticam o punho (posição da mão em “bandeja do garçom”). Mais freqüente em digitadores e músicos.

 

 

 

7 - Quais outros termos são relacionados às tendinopatias?

Outros termos que muitos poderão encontrar a respeito das Tendinopatias são apresentados abaixo:

.Tendinose: é o desarranjo ou degeneração das fibras do tendão. É o que se tem observado nas tendinopatias, nas quais as fibras do tendão perdem sua organização paralela e ficam mais “entrelaçadas” e frágeis.

.Tendinite: é o termo anteriormente usado para o que hoje se define como Tendinopatia. Na Tendinite há uma inflamação presente no tendão, e alguns casos de Tendinopatia podem se iniciar como Tendinites.

.Paratendinite: é a inflamação do tecido que recobre o tendão, e geralmente ocorre devido ao atrito numa proeminência óssea.

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Comentários   

#1 Dakney Ferreira Pint 29-07-2015 11:16
Fique muito satisfeita com a explicação,pois não tinha noção, obrigada!
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

AddThis Social Bookmark Button

 

 

Google+

DMCA.com

Todos direitos reservados a OPTIMA FISIOTERAPIA | 2010 Desenvolvido por: Guara