Neuroma de Morton

 

 

 

Neuroma de Morton é a inflamação que ocorre nos nervos interdigitais (localizados na sola dos pés), decorrente de sua compressão crônica (repetitiva). Esses nervos passam por entre os ossos metatarsos, chegando aos dedos dos pés, e podem ser comprimidos entres os próprios metatarsos ou diretamente contra o solo. Isso acontece a cada passo, na caminhada ou na corrida, por exemplo, onde a parte da frente do pé fica apoiada.

 

Inicialmente o nervo é comprimido, gerando dor, depois, ao longo do tempo, passando para uma inflamação e promovendo edema (inchaço). Se não tratada adequadamente, a inflamação pode, a longo prazo, se tornar tecido cicatricial que potencializa ainda mais a dor.

 

Na maior parte das vezes, o Neuroma de Morton ocorre entre o terceiro e o quarto dedo (considera-se o dedão o primeiro dedo).

 

 

                                                             O local mais comum é entre o 3o e o 4o metatarsos.

 

 

 

Existem dois mecanismos básicos que dão origem ao neuroma. Um é a compressão direta contra o solo e o outro é devido a forças laterais que fazem o espaço entre os metatarsos diminuir, comprimindo o nervo.

 

A diminuição do arco anterior do pé (arco transverso), o uso de salto alto, a corrida com o antepé, são alguns fatores que aumentam a intensidade da compressão a cada pisada. Alterações como antepé varo, pisada pronada, joanete, calçado muito apertado fazem com que o nervo fique comprimido entre os metatarsos.

 

O principal sintoma do Neuroma de Morton é a dor ao pisar o pé no solo, geralmente acompanhada de formigamento, queimação ou choque.

 

Algumas das estratégias mais recomendadas para alívio das dores do Neuroma de Morton são o uso de gelo (2 a 3 vezes ao dia, pode ser feito por 20 minutos num balde de água e gelo – veja aqui o artigo sobre gelo – “Gelo ou calor após uma lesão?”), uso de “taping” (fitas adesivas), o uso de palmilhas que dão suporte aos metatarsos, diminuir a altura do calçado ou usar saltos de menor tamanho (ou evitar qualquer tipo de salto alto), aumentar o acolchoamento do calçado, alterar o tipo de laço usado (deixar mais folga na parte próxima aos dedos), repouso, fisioterapia. Vamos falar de cada uma delas mais especificamente:

 

·Gelo: diminui a inflamação e é analgésico, minimiza a formação de edema.

·“Taping” (fitas adesivas): podem ser usadas para dar mais espaço entre os metatarsos, e para ajudar a corrigir a             pisada pronada e a queda do arco transverso do pé.

·Palmilhas: levantam os metatarsos, diminuindo seu impacto contra o chão a cada pisada. Podem ser usadas para minimizar a sobrecarga causada pelo antepé varo ou corrigir a pisada pronada.

·Diminuir o salto: diminui a compressão sobre os metatarsos. O impacto a cada passo fica mais dividido entre a parte da frente e o resto dos pés.

·Acolchoamento do calçado: diminui a compressão pois o nervo se comprime contra uma superfície menos rígida.

·Laço mais folgado: descomprime lateralmente os metatarsos dando mais espaço para o nervo.

·Repouso: dá tempo para o tecido se recuperar.

·Fisioterapia: a fisioterapia irá corrigir os desvios de movimento que favorecem a compressão do nervo, assim como corrigir os desequilíbrios articulares e musculares que estiverem presentes.

 

 

 

 

Comentários   

#1 maria sandra 14-02-2015 19:42
gostei muito das dicas de neuroma de morton e gostaria de receber mais noticias sobre esse assunto.estou no aguardando mais noticias sobre neuroma de morton
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

DMCA.com

Todos direitos reservados a OPTIMA FISIOTERAPIA | 2010 Desenvolvido por: Guara