Alterações de Movimento e Lesões - Dor Patelofemoral 2

 

 

 

Um estudo publicado pelo American Journal of Sports Medicine, em 2006, realizado por uma equipe de pesquisadores canadenses, procurou correlacionar o gesto da corrida de corredores amadores e o surgimento da dor patelofemoral. Isso foi feito de forma prospectiva, ou seja, eles avaliaram os atletas quando estes não apresentavam sintomas, os acompanharam ao longo de um tempo, e depois compararam os dados iniciais daqueles que se machucaram com aqueles que não sofreram lesão.

 

Numa etapa inicial, avaliaram as características da fase de apoio da corrida de 140 corredores e depois os acompanharam durante 6 meses. 80 desses 140 completaram a fase de acompanhamento.

 

Apenas 6 desses atletas desenvolveram dor patelofemoral, sendo que nenhum deles tinha tido essa dor no passado. A análise de dados, comparando esses atletas com atletas que não desenvolveram qualquer tipo de lesão, observou-se que os primeiros apresentavam um momento angular de abdução de joelho significativamente maior na fase de apoio da corrida. E o que, em termos práticos, isso significa?

 

Significa que há uma força abdutora no joelho, forças que fazem força no sentido do joelho valgo (mas que não, necessariamente, o colocam nessa posição - é possível a posição de varo havendo uma intensa força no sentido do valgo).

 

Outros fatores que, segundo os autores, podem influenciar o momento angular e, assim, o risco de desenvolver dor, são o tipo de calçado ou palmilha e o estilo de corrida (adução de quadril, ponto de contato e ângulo do pé).


E por quê o momento angular aumentado predisporia às dores? Pelo aumento da sobrecarga local, que pode ocorrer tanto por um aumento da força compressiva sobre a patela (parte do momento abdutor poderia se originar do próprio quadríceps caso o quadril se encontre em adução) ou pelo deslizamento lateral da patela (tração do músculo tensor da fáscia lata, trazendo a patela mais lateralmente) favorecendo uma compressão lateral da patela. Outras origens, como sobrecarga dos retináculos (tecidos que se inserem na patela) também não podem ser descartadas.

 

Esse estudo fortalece a idéia de que a análise (e correção) do movimento de atletas corredores é um importante fator para a prevenção de lesões.

 

OBS: o estudo é mais amplo e envolve também uma outra parte, não descrita, feita de maneira restrospectiva.

OBS 2: veja nosso artigo de um Exemplo de Análise do Gesto da Corrida e outro sobre fazer a Correção do Gesto da Corrida, com as evidências científicas mais atuais.

 

 

 

Referências Bibliográficas:

STEFANYSHYN et al – Knee angular impulse as a predictor of patellofemoral pain in runner – The american journal of sports medicine – v.34 n.11 2006.

 

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

DMCA.com

Todos direitos reservados a OPTIMA FISIOTERAPIA | 2010 Desenvolvido por: Guara